|

Exercício em vórtex

Quando as pessoas começam a conhecer meus textos, cursos e grupos, naturalmente surge a dúvida sobre o que é, de fato, o que eu chamo de “exercício em vórtex”? Vamos aqui comentar isso.

Primeiro, o vórtex é um conceito dos transaberes que se instala anteriormente à divisão dos saberes como filosofia, ciência, arte e espiritualidade. No desenvolvimento do conceito de vórtex, foi emergindo uma prática do mesmo.

Da confluência ao longo desses saberes, que discutem meditação e outras práticas, naturalmente surge a possibilidade de se desenvolver uma prática à luz dos transaberes, que é o exercício em vórtex.

O exercício em vórtex é, sobretudo, a confluência da meditação autoinquiritiva do Advaita Vedanta com o Estado Vibracional da Conscienciologia.

O Advaita Vedanta é uma filosofia não-dual indiana consolidada por Shankara no século VIII DC. A prática da meditação autoinquiritiva foi transmitida com mais compreensão para o Ocidente em meados do século XX por Ramana. Se, no Ocidente, associa-se muitas vezes “meditação” com uma prática de bem-estar que envolve concentração, respiração profunda, podendo incluir até entoação de mantras, na autoinquirição, todos os fenômenos são entendidos como “setas” para se apontar para a Unidade.

Por sua vez, a Conscienciologia é uma dissidência do Espiritismo kardecista feita pelo médico e médium Waldo Vieira, tendo como característica um discurso anti-religioso e com aspirações científicas.

O Estado Vibracional, saber que veio da China antiga e suas técnicas baseadas no Chi, citada primeiramente pelo engenheiro de som e criador do Instituto Monroe Robert Monroe. Mas foi Waldo Vieira o que desenvolveu a prática com grande complexidade e de uma forma mais acessível. O Estado Vibracional é atingido através da Mobilização Básica Energética, uma prática de modulação das energias sutis corporais.

Da confluências sobretudo dessas 2 práticas, a meditação autoinquiritiva e da estado vibracional, emerge o exercício em vórtex, que envolve uma meditação inicial autoinquiritiva, mas voltada para o conceito dos transaberes chamado instância de vibração máxima do vórtex e, em seguida a instalação, via imaginação e vontade, de um macrovórtex em torno do corpo da pessoa, em seguida de microvórtexes e perceber o vórtex entre as mãos, como pode-se observar nas imagens a seguir:

macrovortex
Macrovórtex
microvortexes
Microvórtexes
vortex mãos
Vórtexes entre as mãos

Esses 2 exercícios são a base para inúmeros desdobramentos do exercício em vórtex, que envolvem, por exemplo, clarividência, telepatia, percepção intensificada, percepção de campos etc.

Seguem os vídeos explicativos, um teórico e outro prático, com o exercício em vórtex guiado:

(No vídeo, quando se fala “instância de vibração mínima”, substitua por “instância de vibração máxima”). 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.